Página Inicial







Em Foco
Dezembro de 2017

As estrelas de Shambala
Por: JOSÉ GONZÁLEZ TORICES



«Onde há amor, a noite nunca cai» (Burundi). Quando o Deus-Menino veio ao mundo, fê-lo por todos nós. O seu coração derramou um amor infinito. O amor é a chave com a qual se abre o coração (República Democrática do Congo). Onde está o coração, aí estão os sonhos (Ruanda). Não olhes para o coração humano como para uma cesta (Sudão). Deus é como o sol. Penetra em cada casa (Madagáscar).   Todos sabiam na povoação que o ancião Shambala, da dinastia dos Luos, no Uganda, se dedicava a capturar estrelas. O que lhe ocorria! Pensava Shambala que se apanhasse um daqueles astros luminosos, por pequeno que fosse, seria o suficiente para desterrar a fome do mundo, e ainda sobraria sobremesa. – Como pensas fazê-lo? – perguntavam, incrédulos, os seus conterrâneos. – Plantarei as estrelas no deserto de Calaári e, logo de seguida, começarão a crescer como árvores de fruto. As suas folhas serão de pão macio, branco e fresco. Do interior do seu tronco manará abundante leite açucarado, chocolate com...

Indique o seu nome de Utilizador e Palavra-chave para obter o texto completo.
Se já é assinante e deseja consultar os destaques on-line peça o Nome de Utilizador e Palavra Passe utilizando este formulário.





Comente esta informação

Imprimir   |   Enviar a um amigo



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados