Página Inicial







Nigéria: Raparigas sequestradas sofrem até 15 violações diárias
6 de Maio de 2014

Uma das raparigas sequestradas na Nigéria, supostamente pelo grupo islâmico radical Boko Haram, que conseguiu escapar denunciou que as reféns são vítimas de até 15 violações por dia. A informação é do portal local "The Trent", que refere ainda que as estudantes são forçadas a se converter ao islamismo e ameaçadas de morte caso não colaborem.

 

A menor, uma das dezenas de estudantes que foram raptadas em 14 de abril em uma escola de Chibok, no nordeste da Nigéria, afirmou que devido a sua virgindade ela foi entregue como esposa a um dos líderes da seita.

 

Segundo seu depoimento, os sequestradores obrigaram as meninas a se converterem ao islamismo e ameaçavam degolá-las se negassem fazer sexo ou não seguissem suas instruções.

 

Após serem sequestradas no colégio, as raparigas (dezenas das quais seguem em cativeiro) foram levadas a um campo da milícia fundamentalista na floresta de Sambisa, no estado de Borno.

 

O Presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, prometeu, no domingo, 4 de Maio, que irá garantir a libertação das mais de cem alunas raptadas por islamitas e afirmou que contactou o Presidente norte-americano, Barack Obama, para ajudar a ultrapassar os desafios de segurança do país.

 

«Prometemos que onde quer que as raparigas estejam, nós iremos certamente libertá-las», disse Jonathan, em declarações à rádio e televisão locais.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados