Página Inicial







El Salvador: 34 anos da morte de Óscar Romero
24 de Março de 2014

Nesta segunda-feira, 24 de Março, recorda-se o aniversário de morte de dom Óscar Romero, Arcebispo de San Salvador que defendia os ideais da não-violência, posição que o levou a ser comparado ao Mahatma Gandhi e a Martin Luther King. Por isso, Óscar Romero passou a denunciar, em suas homilias dominicais, as numerosas violações de direitos humanos em El Salvador e manifestou publicamente sua solidariedade com as vítimas da violência política, no contexto da Guerra Civil de El Salvador. Dentro da Igreja Católica, defendia a "opção preferencial pelos pobres"..

 

Óscar Arnulfo Romero Galdámez, conhecido como Monsenhor Romero, foi assassinado quando celebrava a missa, em 24 de março 1980, por um atirador de elite do exército salvadorenho, treinado nas Escola das Américas. Sua morte provocou uma onda de protestos em todo o mundo e pressões internacionais por reformas em El Salvador.

 

Em 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 24 de março como o Dia Internacional pelo Direito à Verdade acerca das Graves Violações dos Direitos Humanos e à Dignidade das Vítimas em reconhecimento à atuação de Dom Romero em defesa dos direitos humanos.

 

Em 1997 Romero foi declarado um "Servo de Deus" pelo papa João Paulo II. Sua beatificação e posterior canonização foram propostas à Santa Sé.

 

A comemoração do 34º aniversário da morte do arcebispo salvadorenho se dará em meio a grande expectativa diante da sua possível beatificação em 2017, afirma a Fundação Romero.

 

“Há uma grande expectativa que mons. Romero seja beatificado em 2017”, ano em que o mártir completaria 100 anos de seu nascimento”, afirmou Luisiana de Beltrán, uma das representantes da Fundação Romero.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados