Página Inicial







Vaticano: Quem sou eu diante do meu Senhor?
14 de Abril de 2014

No domingo, 13 de Abril, o Papa Francisco deu início aos ritos da Semana Santa com a celebração da Missa de Domingo de Ramos, quando a Igreja recorda a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. O Papa deixou de lado a sua homilia escrita e improvisou uma profunda reflexão recordando os personagens descritos na leitura do Evangelho deste domingo. O Papa pediu um exame de consciência a todos os fiéis, e com qual personagem nos identificamos.

 

“É bom que nos façamos uma pergunta: quem sou eu, quem sou eu diante do meu Senhor, quem sou eu diante de Jesus que entra em festa em Jerusalém? Sou capaz de exprimir a minha alegria, de o louvar, ou ponho-me à distância? Quem sou eu diante de Jesus que sofre?”, perguntou, na homilia da celebração que decorreu na Praça de São Pedro, perante dezenas de milhares de pessoas.

 

Após a leitura da Paixão segundo o Evangelho de São Mateus, Francisco evocou os “muitos nomes” presentes no relato da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém.

 

O Papa recordou em particular a figura de Judas, o “traidor”, que vendeu Jesus por 30 moedas e “finge” amá-lo para o entregar.

 

“Sou eu?”, perguntou Francisco, ao longo da homilia, num apelo ao exame de consciência enquanto lembrava os discípulos que “não entendiam nada” do que se estava a passar ou aqueles que aguardavam uma oportunidade para prender Jesus.

 

A intervenção referiu-se ainda a Pilatos, que “lava as mãos” para não assumir a sua responsabilidade, ou a multidão que “não sabia se estava numa reunião religiosa, num julgamento ou num circo” e para quem era “mais divertido” humilhar Jesus, como também fizerem os soldados.

 

O Papa elogiou as “mulheres corajosas”, que acompanharam sempre Cristo, e José, o “discípulo escondido” que levou o seu corpo para a sepultura.

 

“Onde está o meu coração? A qual destas pessoas me pareço? Que esta pergunta nos acompanhe durante toda a semana”, concluiu.

 

Após a Missa, o Papa reza o ângelus e preside à passagem da cruz das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) das mãos dos jovens brasileiros para os polacos que a levarão em peregrinação até Cracóvia, sede do próximo encontro internacional, em 2016.

 

O gesto assinalou a celebração do Dia Mundial da Juventude, assinalado este ano, a nível diocesano, no Domingo de Ramos.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados