Página Inicial







Venezuela: Arcebispo pede serenidade para evitar mais violência
20 de Fevereiro de 2014

O Arcebispo de Caracas, Cardeal Jorge Urosa Savino, pediu ao Governo e aos líderes opositores que baixem as tensões para “evitar que uma escalada da violência continue na Venezuela”.

 

Em declarações a Unión Radio, o Cardeal disse na quarta-feira, 19 de Fevereiro, que “todos devemos aproximar-nos a Deus e procurar verdadeiramente a paz”. O prelado assinalou ainda que os dirigentes do Governo e da oposição têm a obrigação “de animar seus partidários a contribuírem com sua conduta e com suas palavras a baixar as tensões, evitar os conflitos, qualquer tipo de ato de vandalismo e também, é claro, os excessos na contenção ou repressão de atos que possam tornar-se violentos”.

 

“É preciso baixar o tom da linguagem, evitar atitudes passionais, buscar uma atitude mais pacífica. Quando há uma situação crítica, o importante é que haja uma grande serenidade para tomar as decisões convenientes”, expressou.

 

O Arcebispo também rechaçou o uso de armas de fogo. “Não entendo por que, mesmo estando proibido pela Constituição, armas de fogo estão sendo usadas na contenção ou repressão de uma manifestação”.

 

O Cardeal Urosa também apelou ao Governo do Nicolás Maduro que escute “as razões pelas quais o povo está protestando, não só os estudantes”. Ele recordou que no país há escassez de produtos básicos, insegurança e desemprego. “Os protestos não são apenas de estudantes. Vemos protestos em todo o país”, assinalou o purpurado insistindo em seu pedido de paz.

 

Na quarta-feira houve uma nova marcha em Caracas, onde milhares de opositores e estudantes se mobilizaram em apoio a Leopoldo López, dirigente da oposição que se entregou voluntariamente à justiça, e que o presidente Maduro acusa como responsável das mortes ocorridas durante a repressão das manifestações do dia 12 de Fevereiro.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados