Página Inicial







Sudão do Sul: O drama dos repatriados
16 de Maio de 2012

Enquanto Sudão e Sudão do Sul permanecem em pé de guerra, estão a chegar a Juba milhares de sudaneses do sul expulsos de Cartum por não terem visto de residência no país.

 

Em 14 de maio, chegou à capital do Sudão do Sul o primeiro grupo de 164 pessoas provenientes de Cartum com um voo organizado pela Organização Internacional para os Migrantes (IOM), num total de 15.000 pessoas que deverão deixar o Sudão nos próximos dias.

 

No Sudão, vivem centenas de milhares de sudaneses do sul que perderam o trabalho e não possuem visto de permanência depois da aclamação da independência do Sudão do Sul, em julho de 2011.

 

Entre eles estão também diversas pessoas de descendência sudanesa do sul, mas que nasceram no norte do Sudão e por isso, quando expulsos, não conseguem viver em seu novo país.

 

O Sudão do Sul deverá se encarregar da instalação destas pessoas, providenciando-lhes alojamentos e trabalho.

 

A instabilidade que domina algumas áreas do Sudão do Sul obrigou também dezenas de milhares de habitantes a fugir. Além dos desabrigados internos, Juba deve se encarregar dos refugiados provenientes do Cordofão do Sul, estado no norte do Sudão cuja população combateu com os sudaneses do sul contra o regime de Cartum. Segundo fontes da ONU, cerca de 100 mil refugiados sudaneses acolhidos no Sudão do Sul.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados