Página Inicial







Brasil: Cáritas manifesta solidariedade aos indígenas
30 de Outubro de 2012

A «Cáritas Brasileira», reunida em encontro nacional em Brasília, de 23 a 25 de outubro de 2012, torna pública sua solidariedade aos Kaiowá e Guarani de cinco comunidades (Passo Piraju, Arroio Korá, Potreto Guasu, Laranjeira Nhanderuno e Pyelito Kue) no Estado do Mato Grosso do Sul, que estão resistindo radicalmente à dizimação executada por parte de fazendeiros da região, principalmente depois da ordem judicial de despejo.

 

«Juntamos nossa voz à voz dos povos indígenas do Brasil, na exigência de interrupção imediata do extermínio dos Guarani e Kaiowá pela força genocida do agronegócio, motivado pelo atual modelo desenvolvimentista que é sustentado por governos e pelo capital», lê-se na nota divulgada na segunda-feira, 29 de Outubro.

 

Para a Cáritas Brasileira, a reivindicação dos povos indígenas do Brasil pelo direito aos seus territórios invadidos e grilados pelo ininterrupto processo de colonização dos últimos 500 anos é legítima e necessária.

 

«As relações de profundo significado de convivência e subsistência que os índios mantêm com a terra é, para nós, sinal profético que deve orientar a nossa mudança de posicionamento e comportamento, em relação aos outros humanos e a toda a Terra, diante da grave crise que o modelo de produção capitalista tem provocado. É vergonhoso que, além do silêncio das outras instâncias, o judiciário brasileiro use de expedientes abusivos que remetem a medidas que justificavam as ações de extermínio da era colonial».

 

A entidade recorda que os Guarani-Kaiowá constituem o segundo maior grupo indígena do país, com aproximadamente 43 mil pessoas, que têm passado por situações de diminuição ou expulsão de suas terras, graves desrespeitos aos direitos fundamentais e assassinatos de lideranças. Tendo seus territórios reduzidos e impossibilitados de existirem segundo seu modo de vida tradicional, os Guarani-Kaiowá têm passado por um processo lento de extermínio, com uma altíssima taxa de suicídios entre os jovens.

 

«A Rede Cáritas se junta às diversas forças sociais no apoio incondicional ao povo Guarani-Kaiowá, multiplicando as vozes que exigem a suspensão da reintegração de posse e, por parte do governo – considerando inclusive suas promessas de resolução -, providências imediatas para a defesa da vida dos índios nas comunidades ameaçadas e a ampliação e demarcação definitiva do território Guarani, que por direito, pertence ao povo indígena».



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados