Página Inicial







Vaticano: As vocações, sinal da esperança fundada na fé
19 de Dezembro de 2012

O Papa Bento XVI divulgou a mensagem por ocasião do «50º Dia Mundial de Oração pelas Vocações», a ser celebrado no 21 de abril de 2013, 4º Domingo de Páscoa.

 

Na mensagem o Santo Padre convida a todos para refletir sobre o tema «As vocações, sinal da esperança fundada na fé», que se integra no contexto do Ano da Fé e no cinquentenário da abertura do Concílio Ecuménico Vaticano II. O Papa sublinhou que este dia de unânime invocação a Deus Pai, para que continue a enviar operários a sua Igreja, foi instituído pelo Servo de Deus Paulo VI durante o período da Assembleia conciliar.

 

Bento XVI destacou que “nestas cinco décadas, as várias comunidades eclesiais dispersas pelo mundo inteiro têm-se unido espiritualmente todos os anos, no IV Domingo de Páscoa, para implorar de Deus o dom de santas vocações e propor de novo à reflexão de todos a urgência da resposta à chamada divina. Na realidade, este significativo encontro anual tem favorecido fortemente o empenho por se consolidar sempre mais, no centro da espiritualidade, da ação pastoral e da oração dos fiéis, a importância das vocações para o sacerdócio e a vida consagrada”.

 

“Quando um discípulo de Jesus aceita o chamado de Deus para dedicar-se ao sacerdócio ou à vida consagrada, - diz Bento XVI ,- manifesta um dos mais maduros frutos da comunidade cristã, que ajuda a olhar com grande confiança e esperança para o futuro da Igreja e seu compromisso com a evangelização ".

O Santo Padre enfatiza na mensagem a importância da oração nas vocações ao sacerdócio e à vida consagrada, explicando que estas “nascem da experiência de um encontro pessoal com Cristo, do diálogo sincero e confiante com Ele, para entrar em sua vontade. Por isto é necessário crescer na experiência de fé, entendida como profunda relação com Jesus, como escuta interior de sua voz que ressoa dentro de nós".

 

E destacando a necessidade de comunidades cristãs fervorosas como berço de vocações, prossegue Bento XVI: “Este itinerário, que torna uma pessoa capaz de acolher o chamado de Deus, é possível no âmbito de comunidades cristãs que vivem uma intensa atmosfera de fé, um generoso testemunho de adesão ao Evangelho, uma paixão missionária que induza a pessoa à doação total de si mesma pelo Reino de Deus, alimentada pela recepção dos sacramentos, especialmente a Eucaristia, e por uma fervorosa vida de oração. Esta deve, por um lado, ser muito pessoal, um confronto do meu eu com Deus, com o Deus vivo; mas, por outro, deve ser incessantemente guiada e iluminada pelas grandes orações da Igreja e dos santos, pela oração litúrgica, na qual o Senhor nos ensina continuamente a rezar de modo justo» (Enc. Spe salvi, 34).

 

Lei aqui a mensagem completa e em português.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados