Página Inicial







Europa: Cidadãos da UE continuam solidários
11 de Dezembro de 2012

Inquérito do «Eurobarómetro» 2012 mostra que europeus em geral, portugueses em particular, continuam solidários. Um total de 85 por cento dos cidadãos da União Europeia considera que, apesar da crise económica atual, a Europa deve continuar a ajudar os países em desenvolvimento, mas Portugal foi um dos países onde essa solidariedade mais caiu, segundo os dados avançados por uma nota de imprensa do serviço «Rapid» da Comissão Europeia.

 

As conclusões do novo inquérito Eurobarómetro foram anunciadas a 16 de outubro pelo Comissário Europeu do Desenvolvimento, Andris Piebalgs, por ocasião das Jornadas Europeias do Desenvolvimento.

 

O inquérito sobre a ajuda ao desenvolvimento revelou que 61 por cento dos cidadãos europeus são favoráveis ao aumento do auxílio concedido pela UE para ajudar as pessoas a sair da pobreza. Simultaneamente, uma maioria de 55 por cento dos cidadãos considera que os países emergentes em rápido crescimento deveriam deixar de beneficiar dessa ajuda. A maioria dos cidadãos (61 por cento) defende que a ajuda se deve centrar nos países mais frágeis, nomeadamente naqueles que tenham sido vítimas de conflitos ou de catástrofes naturais. Os cidadãos europeus encaram positivamente o papel das empresas privadas nos países em desenvolvimento, sobretudo no que respeita à criação de emprego (57 por cento), mas esperam igualmente que as empresas estrangeiras respeitem os valores morais e éticos quando efetuam os seus investimentos (81 por cento).

 

Uma maioria de 53 por cento dos inquiridos considera a corrupção o principal obstáculo ao desenvolvimento nos países pobres. No entanto, apenas 44 por cento dos cidadãos estariam dispostos a gastar pessoalmente mais dinheiro em produtos que promovem o desenvolvimento (nomeadamente, os produtos do comércio justo).

 

Este inquérito Eurobarómetro foi realizado pela «TNS Opinion & Social», entre 2 e 17 de junho de 2012. Foram entrevistados 26.622 cidadãos europeus com mais de 15 anos, através de entrevistas pessoais efetuadas no domicílio.

 

Com informações da «Fundação Fé e Cooperação».



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados