Página Inicial







Mundo: Combater o racismo no mundo virtual
26 de Dezembro de 2012

As Nações Unidas querem combater o racismo no mundo virtual. De acordo com um relatório da «União Internacional das Telecomunicações», UIT, dos 7 mil milhões de habitantes do planeta, 2,4 mil milhões usam a internet.

 

Segundo estudo preparado pelo relator especial do Escritório para os Direitos Humanos da ONU, Matuma Ruteere, a internet pode ser usada por grupos radicais para divulgar mensagens de racismo e ódio.

 

Ruteere disse que com o avanço tecnológico, os websites extremistas continuam aumentando, não só em tamanho, mas também na capacidade tecnológica.

 

Segundo o relator, esses grupos usam a internet para provocar violência racial, abusar de minorias e para recrutar novos membros.

 

Ruteere afirmou que a ONU está preocupada com a intimidação aberta feita por grupos radicais neonazis pregando violência contra ativistas que combatem o racismo.

 

O relator reconheceu que é difícil aplicar leis e regulações contra conteúdos ilegais ou inapropriados porque os países têm legislações diferentes para lidar com esse tipo de problema.

 

O relatório inclui várias recomendações para reduzir a influência de grupos extremistas na internet. Mas Ruteere alerta que os Estados não devem adotar medidas que possam restringir o direito de liberdade de expressão de qualquer cidadão.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados