Página Inicial







Vaticano: A graça da alegria e da magnanimidade
20 de Junho de 2013

Homilia do Papa para a quarta-feira, 19 de Junho de 2013.

 

«Intelectuais sem talento, eticistas sem bondade, portadores de belezas de museu»: são estas as categorias de «hipócritas que Jesus tanto reprova». Indicou-as o Papa Francisco na missa da manhã de quarta-feira, 19 de Junho, na capela da Domus Sanctae Marthae, falando sobre a hipocrisia que existe também na Igreja e no mal que ela causa.

 

Na homilia o Pontífice recordou que «o Senhor fala várias vezes no evangelho sobre a hipocrisia» e «contra os hipócritas», enumerando os episódios mais significativos: quando os fariseus querem pôr Jesus à prova, perguntando se era lícito pagar os impostos a César; quando os saduceus lhe submetem o caso da mulher viúva. Destes episódios sobressai para o Papa uma categoria específica de hipócritas; os que «iam pela estrada da casuística» e desta forma «queriam fazer cair Jesus numa armadilha».

 

Trata-se, disse actualizando o discurso, «de cristãos intelectuais sem talento». Não sabem o que é a bondade. São eticistas: deve-se fazer isto e isto e isto... Enchem de preceitos mas «sem bondade». Enfeitam-se com «vestes, muitos objectos para fingir que são majestosos, perfeitos»; mas contudo «não têm o sentido da beleza. Conseguem só uma beleza de museu».

 

E no evangelho do dia (Mateus 6, 1-6. 16-18) «o Senhor fala de outra classe de hipócritas, os que atingem o sagrado». Este caso, admoestou, é o mais grave, porque toca o pecado contra o Espírito Santo. «O Senhor – disse – fala do jejum, da oração e da esmola: os três pilares da piedade cristã, da conversão interior que a Igreja propõe a todos nós na Quaresma. E neste caminho há os hipócritas, que se pavoneiam por fazer jejum, por dar esmolas e rezar. E penso que quando a hipocrisia chega a este ponto, na relação com Deus, estamos bastante próximos do pecado contra o Espírito Santo. Não conhecem a beleza, nem amor, nem verdade; são pequenos, vis».

 

Eis por que a advertência do Papa Francisco sobre «a hipocrisia na Igreja». «Quanto mal nos faz a todos!», exclamou. Também porque «todos nós temos a possibilidade de nos tornarmos hipócritas». Por isso o Pontífice convidou a pensar em Jesus, «que nos diz para rezar no escondimento, para nos perfumarmos a cabeça no dia do jejum e de não tocar a tromba quando fazemos uma obra boa». Devemos rezar todos os dias, cientes de que somos pecadores».



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados