Página Inicial







África do Sul: Ritual de circuncisão mata 30 jovens
8 de Julho de 2013

Trinta jovens morreram e cerca de 300 tiveram de ser hospitalizados na sequência de circuncisões mal feitas durante os tradicionais rituais de iniciação comunitária na África do Sul. 

 

As 30 vítimas mortais foram registadas na província rural do Cabo Oriental, a região natal do antigo presidente sul-africano Nelson Mandela, onde as circuncisões masculinas fazem parte dos ritos tradicionais de iniciação à idade adulta. 

 

Outros dez jovens foram hospitalizados, no domingo, 7 de Julho, depois de terem sido resgatados de uma floresta, anunciou o porta-voz do departamento provincial de saúde, Sizwe Kupelo.

 

«As partes íntimas dos 10 iniciados 'estão podres'. Estão muito danificados. A sua condição é assustadora», referiu o responsável. 

 

Outros 293 jovens tiveram de ser submetidos a tratamento hospitalar devido a ferimentos, desidratação, gangrena e feridas infectadas. 

 

Adolescentes de etnia Xhosa, Sotho e dos grupos étnicos Ndebele passam cerca de uma mês na mata ou noutras zonas isoladas para as sessões de iniciação à idade adulta, que também incluem aulas de coragem masculina e disciplina.

 

As circuncisões masculinas são realizadas por cirurgiões tradicionais, às vezes com instrumentos não esterilizados ou falta de técnica.

 

Existem duas estações de circuncisão: no inverno, durante os meses de Maio a Julho, e no verão, entre Novembro e Dezembro.

 

As circuncisões mal feitas podem levar a amputações de pénis ou a mortes dos jovens, na maioria dos casos devido a hemorragias e infecções.

 

Em Maio foram registadas 34 mortes depois de circuncisões em duas outras províncias sul-africanas.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados