Página Inicial







Santa Sé: Usar a água de modo responsável
12 de Julho de 2013

«Turismo e água: proteger o nosso futuro comum» é o tema de inspiração para o «Dia Mundial do Turismo», que se celebra em 27 de setembro. Em vista dessa celebração, o Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes difundiu uma mensagem em que convida o turismo a um uso responsável e ético da água e da Criação em geral.

 

«Sem água não há vida»: parte desta constatação a mensagem do Pontifício Conselho da Pastoral os Migrantes e os Itinerantes para o Dia Mundial do Turismo, assinado pelo presidente e secretário do dicastério, respectivamente, o Cardeal Antonio Maria Vegliò e o Bispo Joseph Kalatathiparambil.

 

O dicastério vaticano recorda que em 2012 foi superada marca de um bilhão de turistas internacionais, e que uma em cada três pessoas no mundo vive num país com escassez de água e é possível que em 2030 a carência hídrica atinja quase a metade da população mundial.

 

Mais ainda: cerca de um bilhão de pessoas no mundo não tem acesso a água potável. Portanto, é indissolúvel a relação entre um turismo "ecológico, respeitoso e sustentável" e a proteção tanto das fontes hídricas quanto de toda a Criação.

 

"O turismo será uma verdadeira vantagem na medida em que conseguir gerir os recursos segundo critérios de 'green economy', uma economia cujo impacto ambiental se mantenha dentro de limites aceitáveis."

 

Daí, o convite a olhar com atenção para o "princípio da destinação universal dos bens da terra, que é um direito natural, originário". Mesmo porque a Criação é um "dom de Deus" e "o Criador nos convida a guardá-la, conscientes de sermos administradores, e não proprietários" de tal dom, continua a mensagem.

 

Outro ponto evidenciado pelo dicastério vaticano é a relação entre água e liturgia, que nos recorda "a história do amor de Deus pela humanidade".

 

Da Vigília pascal ao rito do Batismo, das narrações bíblicas do dilúvio universal e da passagem do Mar Vermelho ao episódio evangélico do lava-pés – lê-se na mensagem –, "a água nos fala de vida, de purificação, de regeneração e de transcendência".

 

Ademais, Jesus se apresenta como "fonte de água viva", "Aquele que sacia a sede", onde a sede é "o anseio mais profundo do coração humano, a sua busca de uma autêntica felicidade para além de si mesmo".

 

Em seguida, o Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes chama "todos aqueles que estão envolvidos no setor do turismo" a uma "forte responsabilidade na gestão da água", a fim de que tal setor seja "efetivamente fonte de riqueza em nível social, ecológico, cultural e económico", evitando desse modo que "os danos causados" pela "má gestão" dos recursos naturais possam gravar sobre as futuras gerações".

 

Por isso, políticos, empreendedores e os próprios turistas são exortados a uma "mudança de mentalidade que leve a adotar um estilo de vida diferente, caracterizado pela sobriedade e pela autodisciplina", a fim de que o turista possa chegar à convicção de "que nem tudo é permitido", mesmo que pessoalmente ele possa "assumir o custo económico".

 

Por fim, o Pontifício Conselho recorda que a guarda da Criação é "um tema importante para o Papa Francisco", que o evidenciou em várias ocasiões, desde a missa de início solene de seu Pontificado, em 19 de março passado.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados