Página Inicial







Brasil: Papa convida os jovens a trabalhar por um mundo mais justo
29 de Julho de 2013

Abraços. Beijos. Sorrisos. Para celebrar a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), de 22 a 28 de Julho, no Brasil, o Papa Francisco falou aos jovens e ao mundo com gestos convincentes. Numa viagem através das novas pobrezas, com palavras simples e concretas, o bispo de Roma convidou os jovens a viverem a sua fé na alegria e a comprometerem-se por uma humanidade mais justa e mais solidária.

 

“Não vos canseis de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário! Ninguém pode ficar indiferente às desigualdades que ainda existem no mundo”, disse o Pontífice aos jovens, durante a sua visita à favela carioca de Varginha, no dia 25.

 

“Todos nós precisamos de aprender a abraçar quem está em necessidade, como São Francisco”, recordou o Papa várias vezes nesta sua deslocação às terras brasileiras. E no encontro com um grupo de índios Pataxó Hã-Hã-Hãe da Amazónia, o bispo de Roma aproveitou a ocasião para denunciar: “Não à exploração selvagem da Amazónia”.

 

A viagem do Papa Francisco ao Brasil atraiu não só as muitas centenas de milhares de brasileiros e de peregrinos dos cinco continentes, presentes no Rio de Janeiro e em Aparecida, como também os jovens e os adultos, crentes e não crentes, um pouco por todo o mundo. Dos temas preferidos de Jorge Mario Bergoglio, desde que foi eleito Papa em Março passado, fazem parte a alegria da fé, a reconciliação, a paz, e a justiça social e ambiental. No Rio de Janeiro, o Papa denunciou com veemência “as intoleráveis desigualdades económicas e sociais”.

 

Promover a justiça e a paz não é obra fácil. Muitas são as vítimas que perderam a vida apenas por estarem a pedir mais justiça e mais paz, no Brasil. É o caso do P. Ezechiele Ramin, comboniano assassinado por “pistoleiros” ao serviço dos grandes latifundiários em Cacoal, na Rondónia, em 1985. O missionário tinha apenas 32 anos e foi morto unicamente por defender o direito dos pequenos agricultores e dos índios Suruí à sua própria terra. O último gesto de Ramin fora tentar persuadir os manifestantes de uma das grandes fazendas, numa assembleia sindical, de não recorrerem às armas na luta pela posse das suas terras. No caminho do regresso a casa, os assassinos estavam à sua espera. Crivado de balas, o P. Ramin pronunciou palavras de perdão e morreu.

 

Os missionários combonianos que trabalham no Brasil, neste momento, são cerca de uma centena. Das suas actividades pastorais prioritárias faz parte o trabalho, com os jovens e os cristãos das pequenas comunidades, pela promoção da justiça social e ambiental, da paz e da reconciliação. Os missionários e os jovens acreditam que o reino de Deus e a transformação do mundo se constroem com pequenos gestos.

 

Um destes gestos foi, em Abril passado, a iniciativa da caminhada pela paz, organizada pela pastoral da Juventude e a Casa Comboniana Justiça e Paz da paróquia de São Domingos em Nova Contagem, estado de Minas Gerais. Para preparar a JMJ e ser solidários com a campanha que está a decorrer no Brasil “Contra a violência e o extermínio de jovens”, umas duas mil pessoas marcharam pela paz. O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e presidente da comissão episcopal para a Acção Sociotransformadora, D. Luiz Gonzaga Fechio, acompanhou os jovens nesta caminhada, contou o P. Giorgio Padovan, missionário comboniano a trabalhar em Nova Contagem.

 

O P. Giorgio, referindo-se ao evento, disse que “a caminhada da paz foi um sinal claro e forte de vida, paz, juventude, justiça, e entusiasmo. A juventude de hoje continua sonhando e acreditando num mundo melhor. Os jovens manifestaram-se a favor da vida, da justiça, da paz, da cultura, do trabalho. Manifestaram-se contra a violência, a exploração e as drogas”.

 

A mensagem do Papa Francisco sobre o tema das drogas foi clara. “É necessário encarar os problemas que estão na base do seu uso, promovendo uma maior justiça social, educando os jovens para os valores que constroem a vida em comum, acompanhando quem se encontra em necessidade e dando esperança para o futuro”, disse na sua visita ao Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus, no Rio de Janeiro.

 

Três milhões para Francisco: concluiu com um novo mar de gente a viagem do Papa ao Brasil para o Dia Mundial da Juventude: “Jogai na equipa de Jesus”.

Este é o texto da primeira página do diário italiano ‘Corriere della Sera’ de hoje, 29 de Julho.

 

Texto: Combonianos



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados