Página Inicial







Sudão do Sul: Clima tenso depois da destituição do governo
26 de Julho de 2013

Após a destituição do governo pelo Presidente do Sudão do Sul o clima em Juba está tenso: «À parte o aumento dos postos de bloqueio, agora não se vêem movimentos particulares em Juba e nem fora, mas se vive uma situação de suspense, à espera de compreender como esta situação vai evoluir», declara Chiara Scanagatta, representante de «Médicos com a África Cuamm» no Sudão do Sul.

 

«Tivemos sinais de instabilidade já nas semanas passadas, quando o Presidente retirou muitos poderes do seu vice e sabíamos das tensões dentro do governo e do partido por causa das próximas eleições. Mesmo assim, nas cerimónias pelo segundo aniversário da independência, em 9 de julho, havia clima de festa e de vontade de mudanças, ao ponto que se esperava que as divergências fossem superadas», acrescenta Chiara.

 

Na terça-feira, 23 de Julho, Salva Kiir destituiu o vice-presidente, Riek Machar, e dissolveu o governo. De acordo com as informações, Kir emitiu um decreto com estas medidas, anunciadas nos meios oficiais, para efetuar uma grande remodelação do gabinete.

 

Em outro decreto, o presidente destituiu o secretário-geral do governante Movimento Popular para a Libertação do Sudão (MPLS), Bagan Amun.

 

Amun está sendo investigado após ser acusado por Kiir de má administração do partido e de gerar tensões tribais, de acordo com a televisão oficial.

 

Tanto Amun como Mashar se mostraram recentemente críticos ao presidente.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados