Página Inicial







Mundo: Dia Internacional pede educação para todas as rapariga
11 de Outubro de 2013

Esta sexta-feira, 11 de outubro, é comemorado o «Dia Internacional da Rapariga» que este ano é inspirado no tema «Inovação para a Educação».

 

Neste sentido, o Secretário-Geral da ONU faz um pedido em prol da educação para todas as raparigas e mulheres do mundo. Ban Ki-moon ressalta a importância de garantir seus direitos, lutar contra a discriminação e a violência enfrentada por muitas menores. Para Ban, a melhor opção é providenciar às raparigas «a educação que elas merecem».

 

O chefe da ONU lembra que em muitos países, as jovens são impedidas de progredir ou de frequentar a escola. E segundo ele, os obstáculos são ainda maiores quando a mãe também foi privada de ter educação, quando as raparigas vivem em uma comunidade pobre ou têm algum tipo de deficiência.

 

De acordo com comunicado do «Fundo das Nações Unidas para a Infância» (Unicef), o poder da inovação pode levar mais raparigas à escola e melhorar a qualidade de aprendizagem de todas as crianças.

 

Apesar do decréscimo do número de raparigas que não frequentam a escola, cerca de 31 milhões de meninas em idade de escolaridade primária estão fora das salas de aula.

 

Um dos maiores exemplos atuais de luta pelo direito das raparigas frequentarem a escola é a adolescente paquistanesa, Malala Yousafzai.

 

Malala teve a coragem de mostrar ao mundo, através da Internet, a sua frustração e indignação. Em 2009, ela iniciou o seu ativismo em defesa do ensino para as raparigas no vale do Swat. Tinha apenas 11 anos. Entre março e maio daquele ano, escreveu num blogue da BBC – emissora pública de rádio e televisão do Reino Unido – sobre a vida na sua região. Para sua segurança, usava o pseudónimo Gul Makai. Ela criticou energicamente a decisão dos talibãs de encerrar e incendiar as escolas para meninas e denunciou que eles matavam os opositores.

 

Os talibãs responderam à atitude corajosa de Malala com ameaças de morte. Na terça-feira, 9 de outubro de 2012, a jovem, então com 14 anos, viajava no autocarro escolar quando um homem disparou sobre ela, deixando-a em estado grave.

 

Para ler mais sobre Malala, aqui e aqui.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados