Página Inicial







Paquistão: Libertado o cristão condenado à morte por blasfémia
2 de Dezembro de 2013

O cristão Younis Masih de 35 anos foi libertado no final da passada semana, com a decisão do Tribunal de Recurso, em Lahore, informa a agência Fides.

 

Masih foi condenado à morte por blasfémia por um tribunal de primeira instância em Lahore em 30 de Maio de 2007. Seu caso foi reaberto em Setembro de 2012, com o apoio de organizações cristãs como a «Legal Evangelical Association Development» (LEAD). Em 3 de Abril, Masih foi absolvido e definitivamente libertado no dia 28 de Novembro. Younis Masih e sua família ainda estão num lugar escondido, uma vez que mesmo tendo sido aprovada a inocência, para os extremistas são culpados de "blasfémia" e podem ser mortos.

 

Younis Masih estava definhando na prisão desde 10 de Setembro de 2005, quando então tinha 27 anos. Ele passou oito anos de sua vida na prisão antes de o Tribunal de Apelações apurar sua inocência. Masih havia sofrido um ataque cardíaco em 8 Janeiro de 2013 e continua com problemas de coração.

 

Masih recorda dois casos semelhantes ao seu: o de Rimsha Masih, garota portadora de deficiência mental falsamente acusada de blasfémia e depois libertada, que agora vive no Canadá, e o de Asia Bibi, mulher e mãe cristã, que foi condenada a morte por blasfémia em 2010, e permanece no corredor da morte na prisão feminina de Multan.

 

O advogado de Younis Masih refere que os cristãos no Paquistão temem ameaças, ataques, violência, discriminação e ódio. «A lei da blasfémia é sempre uma espada de Dâmocles sobre suas cabeças: A sua vida não é segura, nem mesmo após a saída do cárcere».

 

«Fazemos um apelo aos nossos irmãos e irmãs cristãos para que rezem pela salvação de Younis Masih e ajudem sua família», concluiu.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados