Página Inicial







Sudão do Sul: Golpe falhado
16 de Dezembro de 2013

A noite foi tensa em Juba com disparos de armas pesadas e ligeiras especialmente nas zonas militares de Bilpam (onde se encontra o quartel-general), Hai Jalaba e Geyada.

As primeiras informações no Facebook diziam tratar-se de uma escaramuça entre elementos nuer e dinka da guarda republicana, os famosos Tigers!

O presidente Salva Kiir Mayardit deu uma conferência de imprensa esta manhã e acusou forças leais ao ex-Vice Presidente Riek Machar de estarem por detrás do golpe de estado falhado que ele classificou de «acto criminal.»

Kiir disse que o exército estava em controle total da segurança em Juba.

Ele impôs o recolher obrigatório entre as 6h00 da noite e da manhã.

Kiir estava abalado e vestido de militar. Era acompanhado pelo Vice-presidente James Wani Igga, o ministro dos negócios estrangeiros Barnaba Marial Benjamin, a ministra do género Awut Deng Aciul e outros dignitários.

O Aeroporto Internacional de Juba foi fechado ao tráfico aéreo.

Fontes locais disseram-me que tanques vigiavam o aeroporto e a área dos ministérios, as ruas estavam vazias e não havia geradores a funcionar.

Mais de 400 pessoas, sobretudo mulheres e crianças, procuraram refúgio na base da Missão das Nações Unidos no Sudão do Sul (UNMISS na sigla em inglês) e seis pessoas foram tratadas a ferimentos de balas.

O Arcebispo Daniel Deng Bul, que chefia a Igreja anglicana e o processo nacional de reconciliação, apelou à calma entre os beligerantes porque na época santa do natal as pessoas precisam de paz para celebrar.

Hilde Johnson, a chefe da UNMISS, pediu às partes envolvidas no conflito para cessarem hostilidades.
A embaixada americana em Juba encontra-se fechada e aconselhou os cidadãos norte-americanos a permanecerem em casa.

Um jornalista local postou no Twitter que algumas personalidades importantes tinham sido presas.
Uma fonte segura disse-me que o Dr Machar se encontrava seguro em lugar secreto.

O tiroteio começou por volta das 10 da noite depois do encerramento do National Liberation Council, o segundo órgão decisório mais importante do partido no poder, o SPLM.

Um número de altos dirigentes do partido, incluindo o Dr Machar e o ex-secretário-geral Pagan Amum, criticaram Kiir por estar a conduzir o país e o partido para uma ditadura.


Kiir disse que os primeiros tiros foram disparados por um indivíduo não identificado junto ao Centro Cultural de Nyakuron onde decorreu a reunião do partido que devia ter aprovado e nova constituição e os estatutos do SPLM.

(José Vieira - MCCJ)



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados