Página Inicial







América Latina: Combonianos defendem direito sócio-ambiental
15 de Novembro de 2013

Os missionários combonianos da América Central, Brasil, Peru e Estados Unidos participaram, ao longo da primeira semana de novembro, no encontro internacional “Iglesias y Mineria” (Igrejas e Mineração) em Lima (Peru). Os combonianos, principais organizadores do evento, debateram e aprofundaram o tema do direito sócio-ambiental frente aos conflitos provocados pela mineração no continente e, em particular, nos países onde os missionários se encontram a trabalhar.

 

Nos dias 4 e 5 de novembro realizou-se um encontro com cerca de 30 religiosos, religiosas, leigos e leigas provenientes de Peru, Equador, Colômbia, Chile, Brasil, Argentina, Honduras, Salvador e Guatemala.

 

O encontro foi organizado, entre outros atores, pela Rede Justiça nos Trilhos e os missionários combonianos do Brasil Nordeste, que articulam pastorais sociais, movimentos e entidades em defesa das comunidades atingidas pelo Programa Grande Carajás e a empresa mineira Vale S.A., no Pará e Maranhão.

 

Dom Guilherme Werlang, presidente da Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, representou a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) no encontro. Reafirmou o compromisso da Igreja Católica no Brasil ao lado dos atingidos pelos grandes projetos de mineração.

 

Destacou, em particular, a participação ativa da CNBB no Comité Nacional em Defesa dos Territórios frente à Mineração, que debate ao longo dos últimos meses a reforma do código de mineração no Brasil.

 

Estavam presentes ao encontro também as agências internacionais dos religiosos e religiosas ativos nas Nações Unidas (Vivat, Franciscan International e Mercy International), cuja missão é articular a Igreja de base em seu papel de protetora e advogada dos pobres frente à ONU e às instâncias internacionais de defesa dos direitos humanos.

 

Também participou a Misereor, da Alemanha, que há muitos anos acompanha o debate e o compromisso da Igreja latino-americana frente à mineração, bem como a coordenação de Justiça, Paz e Integridade da Criação dos religiosos e religiosas no mundo. Frei Fabio Ferreira, frade menor franciscano atuante em Roma, comprometeu-se a levar o grito das vítimas dos grandes projetos extrativos até o Vaticano, para que o cardeal Turkson, presidente do Pontifício Conselho de Justiça e Paz, encontre essas vítimas e fortaleça o trabalho de acompanhamento da Igreja e das comunidades eclesiais de base junto a esses novos pobres, que sofrem o saque de seus bens comuns e territórios.

 

“Trabalhamos ao lado dos povos originários, indígenas e afrodescendentes. Uma de nossas missões prioritárias é apoiá-los na defesa de seus territórios e tradições frente à ganância da mineração, que há séculos fere nosso continente e nessas últimas décadas está se tornando um dos elementos de maior conflito em América Latina” – disse padre Filomeno Ceja, comboniano em Guatemala.

 

O grupo de religiosos e religiosas reunidos nessa ocasião pretende continuar e ampliar sua articulação e, apreciando a solidariedade e a presença qualificada da CNBB, pediu o apoio formal dos bispos do Brasil para a realização, em 2014, de um encontro latino-americano mais amplo e representativo sobre o tema “Igrejas e Mineração”.

 

A missão comboniana no continente latino-americano confirma sua opção prioritária para os povos indígenas e afro-descendentes e, em sintonia com o ensinamento da recente Conferência de Aparecida, se coloca a serviço das comunidades excluídas pelo atual modelo de desenvolvimento e seus projetos de grande impacto.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados