Página Inicial







Sudão do Sul: Governo unifica câmbio oficial com o paralelo
15 de Novembro de 2013

O mercado cambial entrou em ebulição no Sudão do Sul: o Governador do Banco Central, Kornelio Koriom Mayien, na segunda-feira, 11 de Novembro, introduziu uma reforma para unificar o câmbio oficial com o paralelo e assim controlar o mercado negro das divisas estrangeiras e incentivar o investimento internacional. Em termos práticos um dólar americano passou a valer 4,50 libras sul-sudanesas em vez das 2,96. A mudança cambial provocou uma desvalorização de cerca de 40 por cento da libra. Um Euro passou de cinco para seis libras.

 

As reacções à reforma para unificar o câmbio oficial com o paralelo da libra sul-sudanesa não se fizeram esperar. Os postos de combustíveis fecharam logo, na expectativa de que o novo câmbio tornasse a gasolina e o gasóleo mais caros. Sem combustíveis, os transportes públicos quase pararam e a maioria dos funcionários teve que voltar para casa e hoje de manhã para o trabalho a pé. No mercado negro, um litro de gasolina saltou de 10 para 20 libras.

 

Os deputados não gostaram nada da reforma do sistema cambial e exigiram que na quarta-feira o governador e o ministro da economia viessem ao parlamento explicar a bondade de uma reforma contestada por aumentar a inflação além de afectar os lucros daqueles que conseguem comprar dólares a 3,16 libras no Banco Central e vendê-los no mercado negro a 4,50 ou mais. Depois de uma sessão ruidosa no parlamento, o Governador Koriom teve de dar o dito pelo não dito e inverter as medidas de segunda-feira.

 

Claro que noutro país o Dr Koriom só tinha uma saída para um fiasco tão grande: a demissão. Mas o Sudão do Sul é um país de brandos costumes e tudo continua como dantes.

 

José Vieira – Missionário Comboniano no Sudão do Sul



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados