Página Inicial







Argentina: Primeiro beato do Papa Francisco pode ser Carlos Murias
22 de Março de 2013

O primeiro santo de Francisco pode ser um mártir da ditadura militar, se o desejo que o futuro papa havia expressado antes ainda de ser eleito for respeitado. Carlos de Dios Murias, um jovem frei franciscano torturado e brutalmente assassinado pelos militares da província de La Rioja, em 1976.

 

Assim que a diocese de La Rioja começou a prática para a canonização, o cardeal logo a assinou. Era maio de 2011, portanto, em tempos insuspeitos: nenhuma campanha papal no horizonte. «Bergoglio assinou e nos aconselhou a sermos discretos: muitos bispos argentinos, principalmente os mais idosos, se opõem às causas baseadas no compromisso social», conta o padre Carlos Trovarelli, provincial dos franciscanos na Argentina e Uruguai.

 

«Graças à sua cautela, o processo seguiu em frente: os testemunhos acabaram e chegamos à preparação da positio. E agora Bergoglio é papa. A vontade de Deus faz milagres: seria comovente se o primeiro beato de Francisco fosse Carlos», conclui o padre Trovarelli.

 

A reportagem é de Paolo Mastrolilli, publicada no jornal La Stampa, em 19 de Março de 2013. A tradução, publicada no sítio do «Instituto Humanitas Unisinos», é de Moisés Sbardelotto.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados