Página Inicial







R. Centro-Africana: Rebeldes ameaçam retomar as armas
20 de Março de 2013

A rebelião Séléka ameaça retomar as armas «em 24 horas» se as suas reivindicações não forem satisfeitas. Os rebeldes exigem a «libertação de todos os prisioneiros políticos, a retirada das forças estrangeiras sul-africanas e ugandesas do país e o levantamento das barreiras (policiais e dos simpatizantes do presidente Bozizé) em Bangui».

 

A declaração foi feita pelo coronel Djouma Narkoyo, um dos chefes militares rebeldes no terreno.

 

Os rebeldes retêm, desde domingo, 17 de Março, no centro do país, cinco ministros rebeldes do governo centro-africano de união nacional e referem que «eles estão a ser bem tratados, são os nossos líderes, mas não podem partir. Eles vão continuar a estar connosco».

 

Entre os ministros retidos, pelos seus próprios elementos, figuram o líder oficial da rebelião, o vice-Primeiro ministro Michel Djotodia e o ministro das Florestas, o general Mohamed Dhaffane.

 

As dissidências no seio da rebelião fizeram-se sentir desde há várias semanas, quando as facções do Séléka atacaram, a 11 de Março, uma das principais cidades do sul do país, Bangassou.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados