Página Inicial







Nigéria: Triste balanço da Igreja Católica
30 de Abril de 2013

É um balanço triste aquele divulgado pela Igreja Católica no Estado de Benue, na Nigéria central: na crise social e religiosa que atravessa a região, mais de 70 igrejas foram destruídas, e milhares de fiéis, especialmente em vilarejos distantes, ficaram sem um lugar de culto. É quanto refere, em uma nota enviada à agência Fides, Felix Apine, coordenadora da Comissão “Justiça, Desenvolvimento e Paz” da Diocese de Makurdi, capital do Estado de Benue.

 

A nota informa que 30 igrejas que se encontravam na área de Gwer ocidental foram queimadas ou completamente destruídas, e os fiéis fugiram para outros vilarejos. Outras 40 foram destruídas na área de Guma. A destruição toca também algumas escolhas primárias e secundárias pertencentes à diocese, enquanto voluntários e catequistas estão circulando pela região para levantar os danos.

 

O Arcebispo protestante Yiman Orkwar, Presidente da “Associação cristã da Nigéria”, confirmando a destruição de igrejas e escolas, disse que o balanço dos edifícios destruídos poderia ainda aumentar. No Estado de Benue, criadores de etnia Fulani, na maioria muçulmana, atacaram vilarejos habitados por agricultores de etnia Tiv, na maioria cristã.

 

Sobre o aumento dos ataques dos Fulani contra os agricultores Tiv, que causou a morte de outras 30 pessoas, o arcebispo observou “com tristeza a destruição de vidas humanas e de propriedades, por parte de pastores Fulani e de homens desconhecidos, com armas sofisticadas”.

 

O que está ocorrendo aos cristãos “não são simples incidentes, mas é fruto da ação de membros radicais do Boko Haram e de Fulani”, afirmou, convidando as instituições a defenderem a população.

 

“Não se trata de conflitos – reafirmou – mas de verdadeiros ataques contra agricultores cristãos”.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados