Página Inicial







Lisboa: Páscoa é mais do que «festa humana»
27 de Março de 2013

O cardeal-patriarca de Lisboa afirma na sua mensagem para a Páscoa 2013, hoje divulgada na internet, que esta celebração é mais do que uma “festa humana” e implica a “passagem” para uma vida nova.

 

“Façamos uma passagem, porque se não a fizermos a Páscoa será simplesmente uma festa humana, mas que não toca no mistério da ressurreição de Jesus”, afirma D. José Policarpo numa intervenção disponível no canal do Patriarcado de Lisboa no YouTube.

 

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa refere-se à origem etimológica da palavra Páscoa (Pesach, em hebraico), que remete para a ideia de “passagem”.

 

“Esta é uma pergunta que todos nós temos que fazer nesta celebração da Páscoa: estamos a fazer uma ‘passagem’? Para onde? Queremos ir mais longe ou estamos completamente satisfeitos com a vida que temos neste momento, cujo horizonte é sobretudo material, tem as suas fronteiras nesta vida terrena e neste mundo que vivemos?”, questiona.

 

O patriarca de Lisboa fala da principal festa do calendário católico como “uma realidade exigente” que deve levar a uma “plenitude de vida” e a partilhar a “alegria”.

 

“A alegria de que a Páscoa nos fala só se sente se nós partilharmos com Jesus essa plenitude da vida. Não é a alegria humana simplesmente da festa realizada, é uma alegria espiritual”, precisou.

 

Segundo D. José Policarpo, celebrar a Páscoa é “aceitar que é preciso morrer para viver”, assumindo que Jesus é “uma fonte de superação” das fragilidades humanas.

 

“É um grande privilégio que Ele nos dá, o de podermos sentir já na vida humana – quando amamos, quando sofremos, quando trabalhamos, quando nos dedicamos às causas da comunidade – aquela plenitude, aquela beleza interior de quem sente que a vida tem a sua fonte em Deus e que só em Deus ela é fonte de alegria”, conclui.

 

Informações da «Agência Ecclesia».



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados