Página Inicial







Sudão do Sul: Educação de qualidade para combater a pobreza e a guerra
27 de Fevereiro de 2018

Educação de qualidade para quebrar o círculo vicioso da pobreza e da guerra. A Loyola Secondary School (Escola Secundária de Loyola) em Wau, no Sudão do Sul, é uma escola, mas também um abrigo. É um lugar onde meninos e meninas podem encontrar serenidade e construir o futuro, não obstante a violência e a guerra.

 

“A qualidade da educação é um fator importante para romper o ciclo da pobreza e nossa esperança é que o instituto ofereça ao Sudão do Sul líderes, homens e mulheres do futuro, comprometidos em servir o seu povo com integridade e justiça”, afirma o diretor do instituto, o jesuíta Beatus Mauki.

 

“A guerra civil”, explica o diretor, "devastou o país". O combate se espalhou para todas as províncias, a atividade escolar desacelerou, mas não parou. A Escola Secundária Loyola, que tem 580 alunos, 35 professores e seis jesuítas, conseguiu criar um espaço único onde os jovens coexistem pacificamente apesar das diferenças étnicas.

 

Isso é raro no Sudão do Sul, onde as milícias recrutaram mais de 19 mil crianças e pelo menos uma escola em cada três está danificada, destruída, ocupada ou fechada. Muitas crianças perderam seus pais e são obrigadas a cuidar dos irmãos mais novos.

 

Conscientes desta situação, os supervisores da escola, graças ao compromisso das estruturas missionárias jesuítas, estão a oferecer bolsas de estudo para as crianças mais necessitadas e um pequeno-almoço nutritivo, que, para alguns, é a única refeição do dia. Quase 60 por cento dos alunos vive em campos de refugiados e alguns deles são órfãos. Pe. Mauki afirma que o programa de alimentar é “fundamental para melhorar as habilidades físicas e mentais dos alunos”.

 

Aqui o texto original, em inglês.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados