Página Inicial







Eritreia: Uma “Coreia do Norte africana”
14 de Novembro de 2017

“A Eritreia é o país com menos liberdade no mundo”. E quem o diz não é um opositor ao presidente Isayas Afeworki e muito menos uma declaração do odiado governo etíope, mas um documento oficial das Nações Unidas.

 

O relatório, resultado do trabalho de uma Comissão de investigação sobre os direitos humanos que examinou os depoimentos de 550 eritreus e analisou 160 documentos (e que foi impedida de entrar no País), acusa o governo da Eritreia de “sistemáticas, difusas e graves violações dos direitos humanos”, incluindo tortura, violência sexual, desaparecimentos e trabalhos forçados.

 

A Eritreia é definida como uma “Coreia do Norte africana” na qual não existem instituições e processos democráticos, não há liberdade de imprensa, o serviço militar é a tempo indefinido e as relações com os países vizinhos são péssimas.

 

Mas como se chegou a esta realidade? A situação actual tem as suas origens na história do país.

 

A reportagem é da Fides e está disponível em italiano, inglês, francês e espanhol.

 

Fonte: Comboni.org



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados