Página Inicial







Sudão do Sul: Líder dos bispos saúda acordo de paz
24 de Setembro de 2018

Presidente da Conferência Episcopal dos bispos do Sudão e Sudão do Sul saúda o acordo de paz assinado pelos líderes políticos sul-sudaneses. O acordo foi assinado a 12 de setembro, quando os bispos estavam em Roma para encontrar o Papa.

 

“A visita ad Limina ao Papa Francisco gerou o milagre da assinatura do acordo de paz no Sudão do Sul”, escreveu o bispo sul-sudanês de Tombura-Yambio e presidente da Conferência episcopal que reúne os bispos do Sudão e Sudão do Sul, Dom Barani Eduardo Hiiboro Kussala, numa mensagem publicada ao retornar da visita.

 

“Enquanto estávamos ainda em Roma, reunidos com o Santo Padre, em 12 de setembro os líderes políticos sul-sudaneses assinaram o documento final dos acordos para a paz. É algo que se pode quase definir um milagre em sentido espiritual”, afirma o prelado.

 

“Desde o dia em que eclodiu uma das guerras mais longas e insensatas, o Santo Padre jamais deixou de rezar, de lançar apelos e de trabalhar pelo fim do conflito no Sudão do Sul. Se o acordo de paz foi assinado enquanto estávamos sob seu manto paterno, podemos bem dizer que foi um milagre!”, afirmou D. Kussala.

 

A 12 de setembro, as lideranças políticas do Sudão do Sul assinaram um acordo de paz revitalizado. O texto final foi assinado por todas as partes, incluindo o presidente Salva Kiir, o líder do SPLM-IO Riek Machar, a Aliança de Oposição do Sudão do Sul (SSOA), Gabriel Chang Changson e o líder do SPLM-FD, Deng Alor.

 

Em sua mensagem, o bispo de Tombura-Yambio reconhece, porém, as dificuldades a serem ainda superadas como “uma certa falta de transparência e a exclusão de outras partes que dizem respeito ao processo”.

 

Dom Barani Eduardo conclui a lançar um apelo aos “povos do Sudão e do Sudão do Sul a tecer uma rede no sentido de construir um futuro melhor para ambas as nações”.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados