Página Inicial







Lituânia: Papa afirma que lituanos sabem acolher as diferenças
24 de Setembro de 2018

“Diante do cenário mundial em que vivemos, onde aumentam as vozes que semeiam divisão e contraposição – instrumentalizando a insegurança e os conflitos – os lituanos têm algo de original para oferecer: acolher as diferenças!”, afirmou o Papa Francisco, no seu primeiro discurso em visita à Lituânia, no sábado, 22 de setembro.

 

Francisco recordou que esta visita realiza-se em um momento particularmente importante da vida desta nação, que celebra cem anos da sua independência.

 

“Vocês passaram por um século de muitas provações e sofrimentos: prisões, deportações e até martírios. O centenário de independência é motivo de reflexão sobre os acontecimentos, que forjaram a nação, e os desafios para construir o futuro, em clima de diálogo e unidade entre todos os habitantes”, referiu.

 

“Ao longo da sua história, a Lituânia soube hospedar, aceitar, receber povos de diferentes etnias: lituanos, tártaros, poloneses, russos, bielorrussos, ucranianos, armênios, alemães e suas respectivas religiões: católicos, ortodoxos, protestantes, muçulmanos, judeus. Todos conviviam em paz até à chegada das ideologias totalitárias, que só semearam violência e desconfiança”, salientou o Santo Padre.

 

Por fim, o Pontífice expressou sua esperança de que o povo lituano possa continuar a sua ação hospitaleira com o estrangeiro, os jovens, os idosos e os pobres, cumprindo sua vocação de ser “ponte de comunhão e esperança”.

 

O lema que a Igreja na Lituânia escolheu para esta viagem papal é “Jesus Cristo, nossa Esperança”.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados