Página Inicial







África: Conversações podem acabar com conflito entre Etiópia e Eritreia
3 de Julho de 2018

O Papa Francisco classificou como “histórico” e uma “boa notícia” o início de uma série de encontros entre a Etiópia e a Eritreia que poderá colocar fim a um conflito que dura há 20 anos.

 

"É uma obrigação assinalar uma iniciativa que pode ser definida como histórica - e se pode dizer também que é uma boa notícia: nestes dias, depois de vinte anos, os Governos da Etiópia e da Eritreia voltaram a falar juntos de paz. Que este encontro acenda uma luz de esperança para estes dois países do Corno de África e para todo o continente africano", disse o Santo Padre.

 

Pela primeira vez em 20 anos, uma delegação de alto nível da Eritreia, liderada pelo ministro das Relações Exteriores Osman Saleh, chegou à capital da Etiópia, Adis Abeba, para falar sobre o fim de conflito de décadas entre os dois países.

 

A delegação foi recebida pelo recém-eleito primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, em Addis Abeba. Aos hóspedes foram oferecidas guirlandas de flores como símbolo de paz e hospitalidade. Nas ruas da capital havia bandeiras dos dois países e cartazes com mensagens de boas-vindas.

 

O conflito entre a Etiópia e a Eritreia, que começou em 1998 com uma disputa de fronteiras, foi formalmente encerrado com a assinatura do Acordo de Paz de Argel, em 12 de dezembro de 2000, que instituiu a criação de uma Comissão para estabelecer definitivamente as fronteiras dos dois países.

 

No entanto, as tensões se exacerbaram em março de 2012, quando forças militares etíopes lançaram um ataque contra algumas localidades em território eritreu, em resposta à suposta formação pela Eritreia de "grupos subversivos", com o objetivo de realizar ataques na Etiópia.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados