Página Inicial







Rep. Centro-Africna: Papa pede a bispo que seja “protetor dos mais fracos”
25 de Junho de 2018

O Papa Francisco enviou uma carta ao bispo auxiliar de Bangassou, Mons. Jesús Ruiz Molina, a convidá-lo para ser “protetor dos mais fracos, promotor da reconciliação e guardião da esperança”.

 

Na carta, endereçada ao bispo comboniano, o Santo Padre se diz “emocionado” ao saber dos “duros testes que tantos irmãos e irmãs têm enfrentado nestas terras por causa da perseguição e injustiça sem fim, dos sofrimentos e incompreensões que cercam as pessoas que se esforçam para defender a dignidade e aliviar a dor de muitos, sem distinção”.

 

"Eu entendo o desespero e a sensação de impotência nos momentos de provação", escreve o Papa e sublinha ao bispo que ele "não está sozinho", porque "o Senhor é a sua força e nunca desiste."

 

Francisco recorda que "a Igreja, como mãe carinhosa, está presente ao lado daqueles que sofrem". É por isso que o Papa enfatiza que "somos chamados a combater a violência, que tem sua origem no Maligno, com amor e misericórdia".

 

“Uma das tarefas de ser um bispo é ser o protetor dos mais fracos, o promotor da reconciliação e o repositório da esperança".

 

"Confiando em Jesus, encorajo-o a seguir em frente com fé e esperança, para ser um pastor perto da sua gente, um pai e irmão com muita paciência, paciente e misericordioso", escreve o Papa.

 

O Papa garante que o recorda em suas orações, assim como o bispo diocesano, Mons. Juan José Aguirre, "e todo o povo de Deus em peregrinação naquela nação."



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados