Página Inicial







Brasil: Padre Amaro, incansável defensor dos direitos humanos
3 de Abril de 2018

Bispo do Xingu divulgou um comunicado a manifestar solidariedade ao Padre José Amaro Lopes de Sousa, que foi preso no passado 27 de março, no Estado do Pará (Brasil).

 

“Manifestamos nossa fraterna solidariedade a esse incansável defensor dos direitos humanos, defensor da regularização fundiária, da reforma agrária e dos assentamentos de sem-terra”, afirma a nota.

 

O comunicado afirma que “há anos alvo de ameaças, Padre Amaro agora é vítima de difamação para deslegitimar todo o seu empenho em favor dos menos favorecidos”.

 

O padre Amaro é acusado de promover invasões de terras que são reconhecidas pela justiça como terras públicas, destinadas à reforma agrária, mas que ainda estão nas mãos de pessoas ricas e influentes.

 

De acordo com a prelazia do Xingu, Padre Amaro atua desde 1998 na Paróquia Santa Luzia. É líder comunitário e coordenador da Pastoral da Terra (CPT). O assassinato da Irmã Dorothy em 12 de fevereiro de 2005 no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) “Esperança”, não mais o deixou quieto e o fez continuar a missão daquela Irmã mártir.

 

O Padre Amaro e as Irmãs de Notre Dame de Namur (Congregação a qual Irmã Dorothy pertencia) continuaram a apoiar as comunidades que lutam pela terra. Durante estes 13 anos após a morte de Dorothy, já sofreram vários tipos de ataques e ameaças.

 

“Acompanhamos apreensivos a investigação e elucidação dos factos e insistimos que a verdade seja apurada com justiça e total transparência”, concluí a nota assinada por Dom João Muniz Alves, bispo do Xingu e Dom Erwin Kräutler, bispo emérito do Xingu.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados