Página Inicial







Síria: Crianças sujeitas a violência da guerra
6 de Março de 2018

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) denuncia que mais de 1.000 crianças foram mortas ou feridas na Síria desde o início de 2018. 5,3 milhões de crianças no país têm necessidade de assistência e mais de 2,6 milhões de crianças vivem como refugiadas em países vizinhos.

 

As violências continuam em diversas regiões da Síria, como em Idlib, Afrin, Deir-ez-Zor, Damasco, e em algumas partes de Aleppo.

 

O exército sírio, no entanto, concentra forças contra o reduto rebelde em Ghouta Oriental, o que já provocou mais de 659 mortos desde 18 de fevereiro. Milhares de civis abandonaram a cidade.

 

Mas é o Unicef a lançar o alarme de que o país continua a ser um dos locais mais perigosos para as crianças. Mais de 1.000 foram mortas ou feridas desde o início de 2018. 5,3 milhões de crianças no país têm necessidade de assistência e mais de 2,6 milhões de crianças vivem como refugiados na Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito.

 

O Unicef diz que seus funcionários na Síria e nos países vizinhos trabalham incessantemente, a distribuir remédios, kits com suplementos alimentares para crianças desnutridas, kits pediátricos e obstetrícios, roupas de inverno, kits de higiene, além de outras ajudas básicas. Veja como pode ajudar: Unicef Brasil e Unicef Portugal.

 

Diante deste quadro trágico, o Fundo das Nações Unidas para a Infância lança um apelo a todos aqueles que combatem na Síria e a todos aqueles que têm algum tipo de influência sobre eles, para deporem as armas e colocarem fim a esta guerra contra as crianças.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados