Página Inicial







Emirados Árabes: Fraternidade humana pela paz mundial
5 de Fevereiro de 2019

No final do Encontro Inter-religioso em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, foi selada a «Declaração de Abu Dhabi» sobre "A Fraternidade Humana em prol da Paz Mundial e da Convivência Comum". Documento foi assinado por Sua Santidade Papa Francisco e pelo Grão Imame de Al-Azhar, Ahmad Al-Tayyeb.

 

A declaração refere que a “fé leva o crente a ver no outro um irmão que se deve apoiar e amar” e acrescenta que “da fé em Deus… o crente é chamado a expressar esta fraternidade humana, salvaguardando a criação e todo o universo e apoiando todas as pessoas, especialmente as mais necessitadas e pobres”.

 

“O primeiro e mais importante objetivo das religiões é o de crer em Deus, honrá-Lo e chamar todos os homens a acreditarem que este universo depende de um Deus que o governa: é o Criador que nos moldou com a Sua Sabedoria divina e nos concedeu o dom da vida para o guardarmos. Um dom que ninguém tem o direito de tirar, ameaçar ou manipular a seu bel-prazer; pelo contrário, todos devem preservar este dom da vida desde o seu início até à sua morte natural. Por isso, condenamos todas as práticas que ameaçam a vida, como os genocídios, os atos terroristas, os deslocamentos forçados, o tráfico de órgãos humanos, o aborto e a eutanásia e as políticas que apoiam tudo isto”, lê-se no documento.

 

“Em nome de Deus, que criou todos os seres humanos iguais nos direitos, nos deveres e na dignidade e os chamou a conviver entre si como irmãos, a povoar a terra e a espalhar sobre ela os valores do bem, da caridade e da paz”, exortam os líderes religiosos.

 

“Em nome dos pobres, dos miseráveis, dos necessitados e dos marginalizados, a quem Deus ordenou socorrer como um dever exigido a todos os homens e de modo particular às pessoas facultosas e abastadas.

 

Em nome dos povos que perderam a segurança, a paz e a convivência comum, tornando-se vítimas das destruições, das ruínas e das guerras.

 

Em nome da «fraternidade humana», que abraça todos os homens, une-os e torna-os iguais.

 

Em nome de Deus e de tudo isto, Al-Azhar al-Sharif – com os muçulmanos do Oriente e do Ocidente - juntamente com a Igreja Católica – com os católicos do Oriente e do Ocidente – declaramos adotar a cultura do diálogo como caminho; a colaboração comum como conduta; o conhecimento mútuo como método e critério”, lê-se na Declaração de Abu Dhabi.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados