Página Inicial







Sudão do Sul: Ondas de reconciliação
2 de Novembro de 2018

“A experiência da Rede Católica de Rádios (em inglês, Catholic Radio Network (CRN)) – diz Paola Moggi, missionária comboniana – mostra-nos que a Rádio pode ser usada para promover a paz, sobretudo se os programas forem transmitidos consistentemente, durante um longo período de tempo, e implicarem de modo adequado as comunidades dos ouvintes.

 

A formação e as capacidades limitadas dos funcionários, em especial para produzir e transmitir programas de qualidade sobre a paz, em línguas locais, é uma questão preocupante, mas seria facilmente superada com um programa de capacitação mais sistemático.”

 

A guerra civil no Sudão tem sido a mais longa de África. O Acordo de Paz (CPA) entre os dois principais antagonistas no Sudão do Sul, Abyei, Montanhas Nuba e Nilo Azul, ou seja, o Governo do Sudão e o Movimento Exército de Libertação do Povo Sudanês (SPLM/A) foi assinado em 9 de janeiro de 2005. Desde então, “restaurar relacionamentos” no Sudão do Sul dilacerado por guerras por procuração, não tem sido a principal preocupação dos parceiros internacionais. Segurança, exploração de petróleo e desenvolvimento económico tomaram o centro das atenções.

 

Além da mediação de alto nível da «Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento» (IGAD), um bloco comercial de oito países com base na África Oriental, que intermediou o acordo de compartilhamento de poder entre o Governo e o SPLM/A, as igrejas demonstraram especial preocupação em alcançar a população analfabeta do Sudão do Sul, 85 por cento analfabetos, e envolvê-los em relacionamentos de longo prazo para uma transformação de pessoas-para-pessoas.

 

Uma violência terrível irrompeu em 15 de dezembro de 2013 na República do Sudão do Sul, quando a profunda desconfiança entre as facções do Sul precipitou as desavenças políticas em uma carnificina: agora é vital envolver seriamente os líderes políticos e as pessoas comuns em um longo processo de reconciliação.

 

Tecer a paz é um processo de múltiplas camadas, e a comunicação desempenha um papel fundamental neste processo. No cenário do Sudão pós-conflito, este meio explora os esforços da Igreja Católica para promover a paz e integrar a sociedade, muito além do CPA.

 

A Rede Católica de Rádios, com suas estações de rádio comunitárias, foi criada para sustentar a construção da confiança e a reconciliação no Sudão pós-conflito. Foi iniciado em 2006 pela Conferência dos Bispos Católicos do Sudão (SCBC) e pelas Irmãs Missionárias Combonianas - MCCJ.

 

A reportagem completa, em inglês, está disponível na página dos Missionários Combonianos de Itália.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados