Página Inicial







Mundo: Carta da Rede Eclesial Pan-Amazónica ao Papa Francisco
6 de Novembro de 2018

Rede Eclesial Pan-Amazónica (REPAM) escreveu uma carta em que manifesta apoio e solidariedade ao Papa Francisco.

 

A Carta da REPAM, assinada por representantes de Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru e Venezuela, destaca a importância do ministério de Francisco e da encíclica Laudato Si para a região Pan-Amazónia.

 

“Tua encíclica Laudato Si é o nosso horizonte de missão. A reflexão dela está suscitando em muitas comunidades e territórios, esforços sérios e corajosos para traduzi-la em compromissos em defesa de toda a Criação, assumindo os graves riscos e consequências que isso acarreta”, afirmam os signatários.

 

Os membros da REPAM expressam “total apoio e solidariedade para com o serviço” do Papa Francisco no cuidado de nossa casa comum. “Acreditamos profundamente que a Amazónia é e será fonte de vida no coração da Igreja”, afirmam os signatários da carta que também se comprometem “a orar” e a “assumir” essa missão cotidiana de proclamar a presença do Reino na Pan-Amazónia (pessoas, comunidades e território).

 

A REPAM recorda que a convocação do Sínodo Especial para a Amazónia, marcado para outubro de 2019, está a “incentivar a escuta atenta aos povos indígenas” e referem que o processo que teve início com o anúncio do sínodo está a “fortalecer a esperança” e a abrir “novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”.

 

“Queremos construir uma igreja com rosto amazónico desde a Bolívia, o Peru, o Equador, a Colômbia, a Venezuela, a Guiana Francesa, o Suriname, a Guiana e o Brasil, com o apoio das instituições irmãs na Europa e nos Estados Unidos”, conclui a carta.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados