Página Inicial







Santa Sé: Optimismo em relação ao Pacto Global para Migração
30 de Novembro de 2018

Santa Sé está “optimista” em relação ao «Pacto Global para Migração», documento que deve ser assinado pela maioria dos países na Conferência da ONU, em Marraquexe, no Marrocos, nos dias 10 e 11 de dezembro. Objetivo é garantir uma migração segura, ordenada e regular.

 

“Mesmo que alguns países não pretendam assinar (Estados Unidos, Hungria, Austrália, Áustria, Bulgária e também na Itália existem declarações contraditórias), a Santa Sé está “optimista, pois a migração não é igual em todo lugar. É preciso dar uma resposta em cada país”, disse o subsecretário da Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, pe. Michael Czerny, durante a coletiva de imprensa realizada em Roma no dia 29 de novembro.

 

“Se outros países responderem, outros farão o mesmo. Não é uma questão de quem assina ou não, mas de trabalhar junto. Aos poucos, penso que teremos uma resposta mais humana e decente em todos os lugares”, acrescentou pe. Czerny.

 

“A Santa Sé participou do processo, propondo um documento com 20 itens concretos, fruto do que fazemos, vivemos e sonhamos. Estamos felizes de ver que o Pacto Global para Migração se baseia no desejo de promover o diálogo e a cultura do encontro, não obstante o medo tenha as suas razões. Não podemos deixar que o medo decida”, salientou o sacerdote.

 

“A Santa Sé trabalhou muito para o desenvolvimento do Pacto Global para Migração. Agora, estamos no ponto de implementação dos acordos. Esperamos incentivar as Igrejas em cada país a acompanhar esse processo muito importante que mostra a vontade, o desejo e a política da Igreja em relação aos migrantes, sobretudo os vulneráveis”, concluiu.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados