Página Inicial







Vaticano: O mandamento da fidelidade é destinado a todos os batizados
31 de Outubro de 2018

Na Audiência desta quarta-feira, 31 de outubro, o Papa Francisco prosseguiu a sua reflexão sobre os mandamentos, desta vez sobre o sexto: «Não cometer adultério».

 

O Santo Padre afirmou que “esse mandamento não se dirige só aos casados, mas a todos os batizados”.

 

“O sexto Mandamento, “não cometerás adultério”, evidencia que o amor fiel de Cristo é a luz para viver a beleza do amor, manifestado na fidelidade, no acolhimento e na misericórdia. Esse mandamento não se dirige só aos casados, mas a todos os batizados”, referiu.

 

“De facto, o caminho da maturidade afetiva conduz o amor a assumir uma atitude esponsal, ou seja, ser capaz de dar-se sem medida aos demais. Por isso, toda vocação cristã é esponsal, pois é fruto do laço de amor com Cristo mediante o qual fomos regenerados. Assim, por exemplo, um sacerdote é chamado a amar o povo de Deus como um pai e se entregar à Igreja como um esposo. O mesmo vale para quem é chamado a viver a virgindade consagrada. Por outro lado, esse mandamento nos leva a evitar tudo o que seja contrário ao dom generoso de si: todas as formas de adultério, infidelidade e luxúria, na certeza de que o corpo humano não é um instrumento de prazer e egoísmo, mas meio pelo qual manifestamos fisicamente a nossa vocação ao amor sem reservas”, explicou o Papa.

 

O infiel, portanto, é uma pessoa imatura, que interpreta as situações com base no próprio bem-estar. “Para se casar, não basta celebrar o matrimônio!”, recordou o Papa. “É preciso fazer um caminho do eu ao nós. De pensar sozinho, a pensar a dois. A viver sozinho, a viver a dois. Descentralizar é uma atitude esponsal”.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados