Página Inicial







Itália: As mudanças climáticas agravam a exploração de crianças
16 de Junho de 2017

Mais de 500 milhões de crianças vivem em áreas afectadas por contínuas inundações e quase 160 milhões de crianças vivem em áreas que sofrem de secas frequentes e extremas. A sua sobrevivência e qualidade de vida são fortemente influenciadas pelas condições climáticas, que muitas vezes as constringem a trabalhar, para fazer frente ao empobrecimento da família, e a migrar.

 

O novo relatório da “Terre des Hommes” [divulgado no passado dia 9 de Junho de 2017], intitulado “The neglected link – effects of climate change and environmental degradation on child labour” (A relação negligenciada – efeitos das mudanças climáticas e da degradação ambiental sobre o trabalho infantil) explica como os problemas ambientais têm um impacto directo sobre o trabalho infantil, seja pelo impulso inicial para empreendê-lo – também através da migração –, seja pelo tipo de trabalho a que se deve submeter, seja ainda pelas condições de trabalho, exposição a substâncias tóxicas perigosas e a risco de exploração.

 

“Se se quer eliminar o trabalho infantil, é necessário tomar em consideração as consequências das alterações climáticas e integrar nas políticas de protecção do ambiente os direitos das crianças”, afirma Raffaele K. Salinari, presidente da “Terre des Hommes” italiana.

 

Fonte: Comboni.org



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados