Página Inicial







Brasil: Dez anos da Rede um Grito pela Vida
31 de Março de 2017

A Rede Um Grito pela Vida celebrou o décimo aniversário de fundação no passado 30 de março. Há dez anos, um grupo de 28 religiosas provenientes de todas as regiões do Brasil plantava a primeira semente de luta e compromisso no enfrentamento ao tráfico de pessoas: nascia a Rede Um Grito pela Vida.

 

Hoje em dia a Rede conta com cerca de 300 pessoas, entre religiosos e leigos comprometidos em 26 núcleos espalhados em todo o território nacional.

 

“Celebrar 10 anos de compromisso no enfrentamento ao tráfico de pessoas como Rede é um tempo de graça, reconhecimento, memória e reafirmação do compromisso com dignidade e vida das pessoas exploradas e traficadas em nosso país”, declarou a Irmã Eurides Alves de Oliveira, coordenadora nacional da Rede.

 

O trabalho de informação, sensibilização, sobretudo junto às juventudes e as populações mais vulneráveis é a principal estratégia de ação da Rede. Dar visibilidade a um crime que silenciosamente continua ceifando muitas vítimas, nas suas diversas modalidades (exploração sexual, adoção ilegal, servidão doméstica, tráfico de órgãos), é tarefa e preocupação de cada integrante do grupo.

 

45,8 milhões de pessoas em todo o mundo estão sujeitas a alguma forma de escravidão moderna, e além do mais estima-se que 700 mil mulheres brasileiras passam todos os anos pelas fronteiras internacionais do tráfico humano.

 

De facto, assinalar os 10 anos da Rede Um Grito pela Vida, é também: “tempo de avaliar e projetar a continuidade da luta com maior determinação e empenho”, afirma Ir. Eurides.

 

Ir. Chiara Dusi



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados