Página Inicial







Sudão do Sul: Bispos tentam acalmar tensão na fronteira com Uganda
24 de Setembro de 2014

Líderes religiosos do Sudão do Sul estão na vanguarda para acalmar as tensões na área de fronteira com Uganda, especificamente entre os moradores de Kajo-Keji (Sudão do Sul) e os de Moyo (em Uganda). As duas comunidades se tornaram protagonistas de uma série de ataques e represálias ao longo da fronteira entre os dois estados.

 

Os sul-sudaneses acusam os moradores de Moyo de terem destruído 90 casas e roubado 37 cabeças de gado durante uma incursão no território sul-sudanês. Em retaliação, 12 mulheres ugandenses foram sequestradas em Moyo e levadas para Kajo-Keji. Nos últimos confrontos, pelo menos sete pessoas foram mortas.

 

O Bispo de Yei, Dom Erkolano Lodu Tombe, fez um convite á reconciliação entre as duas comunidades apelando a não pagarem o mal com o mal, e a terem confiança na ação dos governos dos dois países para resolver a disputa de fronteira. O bispo pediu também aos governos de ambos os países para acelerar os procedimentos de demarcação da fronteira, a fim de evitar novas tensões e incidentes.

 

Também o bispo anglicano de Kajo-Keji, o reverendo Anthony Poggo, fez um apelo às duas comunidades para que cessem imediatamente a violência. Duas delegações, cada uma composta por cerca de vinte pessoas das duas comunidades, pediram de comum acordo aos Governos de Uganda e Sudão do Sul para verificar e demarcar o quanto antes o confim, uma operação esperada há mais de 50 anos.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados