Página Inicial







Santa Sé: Migrantes têm lugar privilegiado no coração da Igreja
24 de Setembro de 2014

Foi apresentada na terça-feira, na Sala de Imprensa da Santa Sé, a mensagem do Papa Francisco para o «Dia Mundial do Migrante e do Refugiado». A mensagem traz como tema "Igreja sem fronteiras, mãe de todos". Os desafios apresentados pelas migrações devem ser respondidos com a cultura do acolhimento e da solidariedade, como recorda o Papa Francisco na mensagem. Mas, não raramente, observou o presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes, Cardeal Antonio Maria Vegliò, vemos outras atitudes:

 

"Há uma tendência a ver o imigrado com suspeita e um pouco de medo. Daí, muitas vezes, nasce a equação migrante igual criminoso. Trata-se de algo absolutamente falso. Não podemos aceitar uma coisa dessa. O Papa diz claramente que os migrantes têm um lugar privilegiado no coração da Igreja, porque são os que mais precisam, porque são os mais vulneráveis."

 

Portanto, é preciso rechaçar a equação entre imigrados e criminosos. Mas se algum imigrante é delinquente, acrescentou o purpurado, deve ser expulso.

 

Em todo caso, a expulsão jamais pode dizer respeito aos refugiados, explicou o presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes.

 

Nesta fase final de 2014, pela primeira vez desde a II Guerra Mundial, o número de refugiados, de deslocados e de pessoas que pediram asilo superou o patamar de 50 milhões. Mais de 50 por cento dos refugiados são crianças.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados