Página Inicial







Mundo: Dia Mundial do Turismo – 27 de Setembro
25 de Setembro de 2014

O Dia Mundial do Turismo será celebrado no sábado, 27 de Setembro, sob o tema “Turismo e desenvolvimento comunitário”.

 

A mensagem do Vaticano, datada de 1º de julho, e assinada pelo cardeal Antônio Maria Vegliò e pelo bispo Joseph Kalathiparambil, presidente e secretário, respetivamente, do Pontifico Conselho para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, diz o seguinte:

 

«Consciente da importância social e econômica do turismo no momento atual, a Santa Sé quer acompanhar este fenômeno a partir do âmbito que lhe é próprio, de maneira particular no contexto da evangelização.

 

No seu Código Ético Mundial, a OMT afirma que o turismo deve ser uma atividade benéfica para as comunidades de destino: “As populações locais serão partícipes das atividades turísticas e compartilharão de modo equitativo os seus benefícios econômicos, sociais e culturais, em particular no que diz respeito à criação direta e indireta de emprego”. Isto quer dizer que é necessário instaurar entre estas duas realidades uma relação de reciprocidade, que leve a um enriquecimento mútuo.

 

A noção de “desenvolvimento comunitário” está profundamente vinculada a um conceito mais amplo, que faz parte da doutrina social da Igreja, ou seja, o de “desenvolvimento humano integral”, a partir do qual queremos ler e interpretar o primeiro. A este propósito, são iluminadoras as palavras do Papa Paulo VI que, na encíclica Populorum progressio, afirmava: “O desenvolvimento não se reduz a um simples crescimento econômico. Para ser desenvolvimento autêntico, deve ser integral, quer dizer, promover todos os homens e o homem todo”.

 

Como pode o turismo contribuir para este desenvolvimento? Para tal finalidade, o desenvolvimento humano integral e, por conseguinte, o desenvolvimento comunitário no campo do turismo devem ter em vista alcançar um progresso equilibrado, que seja sustentável e respeitoso em três âmbitos: econômico, social e ambiental, entendendo com isto tanto o âmbito ecológico como o contexto cultural».

 

«É fundamental que para alcançar estes benefícios se sigam critérios éticos respeitadores sobretudo das pessoas, tanto no plano comunitário como a nível de cada indivíduo, evitando “um conceito economicista da sociedade, que procura o lucro egoísta, fora dos parâmetros da justiça social”. Com efeito, ninguém pode construir a própria prosperidade em detrimento do próximo».

 

Leia AQUI a mensagem completa.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados