Página Inicial







Sudão do Sul: Rádios católicas na mira das autoridades
6 de Outubro de 2014

A proibição ordenada pelas autoridades sul-sudanesas para as rádios comunitárias de noticiar questões políticas e de segurança é "inconcebível", afirma a organização «Repórteres sem Fronteiras (RWB, na sigla original) de Africa, especialmente num país onde a guerra civil afeta a população a cada dia.

 

É o que relata a «Rede de Rádios Católicas» a qual pertencem as duas rádios católicas que foram ameaçadas de fechamento porque seguem a política atual da vida nacional. Trata-se de "Rádio Bakhita" da Arquidiocese de Juba, e Rádio "Voice of Hope", da Diocese de Wau. A primeira foi fechada pelas autoridades no final de agosto, e foi autorizada a retomar as transmissões com a ordem de não transmitir notícias políticas, enquanto a segunda foi ameaçada de fechamento pelo vice-governador a não ser que se limite a dar apenas informações locais evitando noticiar os eventos que acontecem em outros estados do Sudão do Sul.

 

De acordo com a organização para a defesa do direito à informação, as rádios comunitárias são muitas vezes a única fonte de informação a nível local, por isso é um "ato intolerável de censura" proibir o seu bom funcionamento. Recordando a lei aprovada em dezembro, que restringe a liberdade de informação, a organização dos Repórteres sem Fronteira acredita que as rádios comunitárias católicas entraram na mira das autoridades sul-sudanês.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados