Página Inicial







Brasil: 2,5 milhões de devotos na Festa do Divino Pai Eterno
29 de Junho de 2015

Teve início nesta sexta-feira, a festa do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO). O grande dia da comemoração é sempre o primeiro domingo de julho – neste ano, dia 5 –, mas, nos nove dias anteriores, já há vasta programação que inclui Missas, novenas, romarias. Segundo a organização, são esperadas cerca de 2,5 milhões de pessoas.

 

De acordo com o reitor do Santuário Basílica do Divino Pai eterno, Padre Edinisio Pereira, está tudo preparado para receber romeiros de todas as partes do país. “Ao chegar a Trindade, o romeiro vai sentir a acolhida, um ambiente propício à oração, à fraternidade”, afirmou.

 

Neste ano, a festa tem como tema “Consagrados ao Pai Eterno”, inspirado na carta do Papa Francisco por ocasião do Ano da Vida Consagrada. Segundo o reitor, a proposta é que os romeiros façam a renovação da fé. “O que os devotos vão receber aqui é para ser colocado em prática nas suas comunidades, nos locais de trabalho, em suas vidas, vivendo os valores do Evangelho”, pontuou.

 

Durante os dez dias de festas, serão 115 Missas, 45 novenas, 30 orações de terço e 11 procissões, além de centenas de Batizados e milhares de confissões. Mas, a tradição dessa festividade são as romarias. Muitos devotos percorrem, a pé, o trajeto entre os municípios de Goiânia e Trindade, com cerca de 18 km, como forma de pagar promessas, pedir graças e agradecer bênçãos alcançadas.

 

No dia 5 de julho, a Festa em Louvor ao Divino Pai Eterno contará com a presença do conselheiro da Pontifícia Comissão para a América Latina e ex-Núncio Apostólico no Brasil, Cardeal Lorenzo Baldisseri. É a primeira vez que ele participa da Romaria de Trindade. O Cardeal presidirá a Missa Solene, com a presença de autoridades, às 8h, no altar externo da praça do Santuário Basílica.

 

A devoção ao Divino Pai Eterno na cidade goiana teve início por volta de 1840. Nas proximidades do Córrego do Barro Preto, que mais tarde recebeu o nome de Trindade, o casal Constantino Xavier e Ana Rosa de Oliveira encontrou um medalhão enquanto trabalhavam no campo. A peça trazia a imagem da Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria. Eles a levaram para casa, onde, junto a outros moradores, começaram a rezar o terço.

 

As notícias de graças alcançadas se espalharam, levando ao crescimento do número de devotos. Com isso, foi construída, por volta de 1843, a primeira capela coberta com folhas de buriti. Em 1912, foi inaugurado o primeiro Santuário do Divino Pai Eterno, hoje conhecido como Santuário Velho ou Igreja Matriz.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados