Página Inicial







Chile: Bispo denuncia privatização da água na Patagónia
30 de Julho de 2015

O Bispo de Aysen, na Patagónia chilena, Dom Luis Infanti, denunciou em uma entrevista que 97 por cento da água da região está nas mãos de uma empresa particular.

 

“Uma empresa italiana é proprietária de 97 por cento da água da Patagónia, proprietária, por lei, pela Constituição chilena. Uma Constituição elaborada e aprovada no tempo da ditadura. Portanto, é um escândalo não somente para a Patagónia, mas também para a Itália, porque se trata de uma empresa em que o Estado italiano também tem a sua participação. O Papa diz que sobre cada propriedade privada recai sempre uma dívida social. A dívida social é que a água é um direito humano essencial… é um elemento vital, essencial para a vida. Portanto, não pode ser propriedade privada e menos ainda mercantilizada como acontece na Patagónia e em outras partes do mundo”, refere o bispo.

 

A denúncia de Dom Luis Infanti encontra respaldo na Encíclica do Papa.

 

Escreve Francisco: “Enquanto a qualidade da água disponível piora constantemente, em alguns lugares cresce a tendência para se privatizar este recurso escasso, tornando-se uma mercadoria sujeita às leis do mercado. Na realidade, o acesso à água potável e segura é um direito humano essencial, fundamental e universal, porque determina a sobrevivência das pessoas e, portanto, é condição para o exercício dos outros direitos humanos.”

 

O Bispo de Aysen critica ainda o modelo de desenvolvimento da América Latina que, segundo ele, ainda é vítima da colonização. Desta vez, por parte do capital: “Um continente que continua a sofrer pela colonização de grandes empresas transnacionais, que querem apropriar-se não somente dos bens deste continente, assim como do continente africano, mas querem destruir, cancelar a história, a cultura e a espiritualidade de povos milenários, como são os que povoam este continente. Uma globalização sobretudo tecnológica, econômica, que mais se parece com uma nova colonização de domínio do que de liberdade e equidade.”



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados