Página Inicial







Rep. Centro-Africana: Grupos armados concordam em libertar crianças
7 de Maio de 2015

Líderes de grupos armados da República Centro-Africana concordaram na terça-feira, 5 de maio, em libertar todas as crianças associadas às suas forças, anunciou o Fundo da ONU para a Infância (Unicef).

 

Uma nota da agência destaca que o objetivo da medida é pôr fim imediato ao seu recrutamento. Estima-se que entre 6.000 e 10 mil menores estejam atualmente associados a fações armadas do país.

 

De acordo com o Unicef, o grupo de crianças inclui combatentes e menores usados para fins sexuais. Outras servem como cozinheiros e mensageiros.

 

O representante da agência da ONU na República Centro-Africana disse que o país é um dos “piores lugares do mundo para se ser criança”.

 

Ao considerar a libertação “um grande passo para proteção das crianças” no país, Mohamed Malick Fall expressou a sua ansiedade em trabalhar com as autoridades locais com vista a ajudar a reunir as crianças às suas famílias.

 

A informação foi dada no Fórum de Bangui, que decorre até 11 de maio. O evento visa restaurar a paz no país e junta representantes do governo, do parlamento, de partidos políticos, da sociedade civil a líderes religiosos, comunitários e de grupos armados.

 

O Unicef disse ter mediado o acordo sobre os menores em colaboração com os seus parceiros. Em 2014, mais de 2,8 mil crianças centro-africanas foram libertadas pela agência.

 

Após assinar a declaração, as partes devem fixar um calendário para libertar as crianças, para a sua reunificação com suas famílias e comunidades, e para a prestação de proteção para a reconstrução das suas vidas.

 

Em dois a anos de violência, o Unicef disse que a República Centro-Africana ficou marcada por uma das piores e menos visíveis crises humanitárias do mundo.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados