Página Inicial







Vaticano: Cristãos podem testemunhar juntos a misericórdia de Deus
20 de Janeiro de 2016

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos foi o tema da Audiência Geral desta quarta-feira, 20 de janeiro, realizada pelo Papa Francisco na Sala Paulo VI.

 

“Temos (os cristãos) a missão comum de transmitir aos outros a misericórdia que recebemos de Deus, começando pelos mais pobres e abandonados. Durante esta Semana de Oração, rezemos para que todos nós discípulos de Cristo encontremos o modo de colaborar juntos para levar a misericórdia do Pai a todas as partes da terra”.

 

A Semana de Oração pela unidade é celebrada de 18 a 25 de janeiro nos países do Hemisfério Norte. A conclusão deste evento acontece na festa da conversão de São Paulo, ocasião em que o Papa Francisco preside à celebração ecumênica na Basílica de S. Paulo Fora dos Muros. No Hemisfério Sul, os cristãos celebram esta iniciativa entre Ascensão e Pentecostes.

 

Na audiência, o Papa comentou o trecho da Primeira Carta de S. Pedro escolhido para esta semana ecumênica: “Chamados a proclamar os altos feitos do Senhor”:

A primeira Carta de Pedro é dirigida à primeira geração de cristãos, explicou o Papa, para torná-los conscientes do dom recebido com o Batismo e das exigências que comporta. “Também nós, nesta Semana de Oração, somos convidados a redescobrir tudo isso, e a fazê-lo juntos, indo além de nossas divisões.”

 

Antes de tudo, prosseguiu o Pontífice, compartilhar o Batismo significa que todos somos pecadores e precisamos ser salvos, redimidos e libertados do mal. Significa que católicos, protestantes e ortodoxos são chamados a compartilhar a experiência de sair das trevas e ir ao encontro com o Deus vivo e cheio de misericórdia. Infelizmente, constatou, todos fazem experiência do egoísmo, que gera divisão, fechamento e desprezo. Com o Batismo, é possível reencontrar a fonte da misericórdia.

 

Para Francisco, a compartilha desta graça cria um elo indissolúvel entre os cristãos, já que, em virtude do Batismo, podemos nos considerar realmente irmãos. “A misericórdia de Deus atuante no Batismo é mais forte do que as nossas divisões. É mais forte”, reiterou.  Por isso, todos nós, os cristãos, podemos e devemos anunciar a força do Evangelho, comprometendo-nos juntos na realização das obras de misericórdia espirituais e corporais. Este é um testemunho concreto de unidade.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados