Página Inicial







África: 14 milhões ameaçados pela fome na região austral
19 de Janeiro de 2016

Cerca de 14 milhões de pessoas podem ficar sem comida suficiente em 2016 na África Austral devido à seca prolongada que há vários meses afecta a produção agrícola. Alerta foi dado na segunda-feira, 18 de janeiro, pelo Programa Alimentar Mundial (PAM).

 

À fraca colheita de 2014 seguiu-se uma seca ainda mais grave em 2015, provocada pelo fenómeno climatérico El Niño, afirma o PAM num comunicado em que considera que "a perspectiva é alarmante".

 

"O número de pessoas sem alimentos suficientes pode aumentar significativamente nos próximos meses à medida que a região entra na chamada estação de escassez, em que o armazenamento de alimentos é extremamente baixo", afirma o PAM.

 

"Os pequenos agricultores, responsáveis pela maior parte da produção e que dependem da sua própria produção para subsistir, estão especialmente vulneráveis", acrescenta.

 

Um dos países mais afectados pela falta de chuva é o Malawi, com 2,8 milhões de pessoas ameaçadas de fome, seguido de Madagáscar (1,9 milhões) e o Zimbabwe (1,5 milhões), países onde as colheitas de 2015 representam metade das de 2014.

 

O PAM manifestou ainda preocupação com Angola, Moçambique, Lesoto e Suazilândia.

 

Os preços dos alimentos têm subido em toda a região. No Malawi, por exemplo, o milho subiu 73 por cento em relação ao preço médio.

 

Na semana passada, a África do Sul anunciou que vai ter de importar metade da colheita média de milho - seis milhões de toneladas -, depois de 2015 ter sido declarado o pior ano de seca no país em 112 anos.

 

O processo de aquecimento e arrefecimento de zonas diferentes do Pacífico é conhecido como El Niño. O fenómeno é causado pela mudança no padrão dos ventos sobre o oceano e o de este ano é já um dos mais graves de que há registo – é semelhante e pode mesmo a vir ultrapassar o pior na História, observado entre 1997 e 1998. O calor do mar afecta o curso das tempestades no mundo e causa abundância e escassez de chuvas em diferentes pontos do globo.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados