Página Inicial







Rep. Centro-Africana: Aumentam ataques contra pessoal humanitário
30 de Dezembro de 2016

O Escritório da ONU para Assuntos Humanitários (Ocha) registou 336 ataques contra equipas do setor de ajuda humanitária este ano na República Centro-Africana. Destes, mais da metade foram saques e assaltos, revelou o chefe da representação no país.

 

A entidade expressou “profunda preocupação” com o aumento de ataques contra agências que trabalham na área durante os últimos três meses.

 

Cinco trabalhadores humanitários perderam a vida em serviço em ataques que coincidem com o aumento de crises humanitárias em vários municípios onde o número de deslocados internos “cresce de forma alarmante”.

 

As organizações humanitárias dizem não ter outra opção senão reduzir a sua presença e a intensidade das suas atividades em áreas não seguras.

 

O chefe do Ocha no país, Joseph Inganji lembrou que a “a finalidade da ação no país é salvar vidas”. O representante revelou haver diversos riscos a serem enfrentados pelos funcionários para atender aos mais vulneráveis e necessitados.

 

Os focos de violência registados no último trimestre obrigaram mais de 70 mil pessoas a deixarem as suas casas.

 

O Ocha defende que o auxílio não pode chegar às pessoas escondidas nas matas devido à insegurança e que “o maior impacto da redução do espaço humanitário é sentido pelos necessitados”.

 

O escritório prevê que 1,6 milhão de centro-africanos venham a precisar de assistência humanitária.

 

O apelo aos que promovem a insegurança e aos responsáveis pela violência contra agências humanitárias é que “coloquem o interesse dos centro-africanos acima de tudo, especialmente dos mais frágeis”.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados