Página Inicial







Vaticano: Acolher e proteger menores migrantes
16 de Julho de 2014

O Papa Francisco enviou uma mensagem aos participantes do encontro sobre mobilidade humana e desenvolvimento, em andamento na Cidade do México, do qual também participa o Cardeal Secretário de Estado, Pietro Parolin.

 

"A globalização é um fenômeno que nos interpela, sobretudo numa de suas manifestações principais que é a migração. Não obstante o grande fluxo de migrantes presentes em todos os continentes e em quase todos os países, a migração é ainda vista como emergência ou como facto circunstancial e esporádico, mas se tornou um elemento característico e um desafio para as nossas sociedades", destaca o pontífice.

 

De acordo com Francisco, a migração é um fenômeno que carrega consigo grandes promessas e desafios. "Muitas pessoas obrigadas a migrar sofrem e muitas vezes morrem tragicamente; muitos de seus direitos são violados. Elas são obrigadas a se separar de suas famílias e infelizmente continuam sendo objeto de comportamentos racistas e xenófobos"', salienta o Papa.

 

Diante dessa situação, Francisco repete o que afirmou na mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2014: "É preciso que todos mudem a atitude em relação aos migrantes e refugiados; é necessário passar de uma atitude de defesa e de medo, de desinteresse ou de marginalização - que, no final, corresponde precisamente à 'cultura do descartável' – para uma atitude que tem por base a 'cultura do encontro', a única capaz de construir um mundo mais justo e fraterno, um mundo melhor."

 

O Papa Francisco chama a atenção para milhares de crianças que migram sozinhas, sem acompanhamento, escapando da pobreza e da violência: "Esta é uma categoria de migrante que da América Central e do México atravessa a fronteira com os Estados Unidos em condições extremas, em busca de uma esperança que na maioria das vezes é em vão. Esta categoria está aumentando a cada dia. Tal emergência humanitária requer uma intervenção urgente a fim de que esses menores sejam acolhidos e protegidos", alerta o Santo Padre.

 

Segundo o Papa, "estas medidas não serão suficientes se não forem acompanhadas por políticas de informação sobre os perigos de uma viagem desse tipo, e promoção e desenvolvimento em seus países de origem. É necessário chamar a atenção de toda a comunidade internacional para que possam ser adotadas novas formas de migração legal e segura".

 

"Desejo todo sucesso a esta iniciativa louvável do Ministério das Relações Exteriores do Governo mexicano de organizar um seminário de estudo e reflexão sobre o grande desafio da migração e concedo de coração a cada um dos presentes minha bênção apostólica", conclui Francisco.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados